Algumas ferramentas são de extrema importância para acompanhar o desempenho do seu negócio, como o Balanço Patrimonial e a demonstração de  resultado da empresa. Alguns conceitos são necessários para realizar o balanço, e o de ativo contábil, que vamos aprofundar um pouco mais nesse artigo é um deles.

O que é Balanço Patrimonial?

Antes de iniciarmos o assunto sobre os ativos contábeis, veremos uma breve explicação sobre o que é Balanço Patrimonial.

Balanço Patrimonial é um relatório contábil, extraído por um determinado período de tempo, que detalha e comprova a real situação financeira e patrimonial de uma empresa.

E, é portanto, uma parte fundamental da análise financeira.

O que é ativo na contabilidade?

Ativos são todos os bens e direitos da empresa, e que podem ser convertidos em dinheiro. 

É considerada a parte positiva do balanço patrimonial, e constata onde os recursos da empresa foram aplicados, e se obtiveram resultados positivos.

Para ser considerado ativo, os bens da empresa devem ter nota fiscal em nome do empreendimento, comprovar que é sua propriedade e possui valor numerário.

Quais contas são do ativo?

Pertencem ao ativo o dinheiro nas contas da empresa, o estoque que pode ser vendido, e até mesmo os automóveis. Tudo que pertencer a empresa, e puder gerar algum valor é considerado ativo.

Qual é a diferença entre ativo e passivo?

Ativos são todos os bens e direitos da empresa, ou seja, tudo que ela possui que pode se tornar rendimento de alguma maneira.

Os ativos podem ser máquinas, equipamentos, e também recursos que não são físicos. Como aplicações financeiras, investimentos, entre outros.

Passivos são todas as dívidas e obrigações da empresa. As dívidas se referem a empréstimos, pagamento de fornecedores, e as obrigações são os pagamentos a funcionários, impostos e tudo que não é seu bem, mas está em seu poder.

Qual a importância do ativo no Balanço Patrimonial?

O acompanhamento, organização e verificação do saldo de ativos da empresa é significativo para examinar a utilização dos recursos da empresa.

Com ele é possível analisar se o dinheiro está sendo aplicado onde realmente precisa, e se a empresa tem o suficiente para cumprir com suas obrigações.

O que é ativo circulante e não circulante?

Dentro dos ativos de uma empresa, podemos dividi-los em dois tipos. Os circulantes e não circulantes.

Essa divisão é feita com base no prazo que eles podem ser convertidos em dinheiro para a empresa.

Ativo circulante são os bens e direitos que podem ser registrados como dinheiro em espécie, por exemplo o caixa da empresa, banco, aplicações financeiras, clientes a receber, estoques, entre outros; Ou também o que pode ser convertido em dinheiro em pouco espaço de tempo, no máximo até o final do tempo de exercício.

Já os ativos não circulantes são os que despendem de um maior tempo para se tornarem dinheiro para o negócio, como a venda de móveis, equipamentos, veículos, softwares, computadores, investimentos, entre outros.

Depreciação e amortização

Alguns fatores devem ser levados em consideração quando se trata de analisar o balanço da empresa, mas podem não afetar de forma direta o seu financeiro.

Quando a vida útil de alguns ativos chegam ao fim, pelo desgaste do tempo de uso, isso pode causar uma desvalorização no valor dos bens da empresa. 

E essa redução no valor, deve ser levado em conta no balanço final de investimentos realizados pela empresa.

Quando a desvalorização é de bens materiais chamamos de depreciação, e no caso de bens imateriais é a amortização.

Esses dois fatores, funcionam como uma forma de se antecipar à necessidade de adquirir novos equipamentos para a empresa, pois dão uma ideia de quanto tempo de vida útil aquele equipamento terá.

Importância de analisar os ativos

A análise dos ativos da empresa possibilita a avaliação dos recursos disponíveis para sanar os compromissos e planejar reinvestimentos.

Para essa análise, é necessário calcular alguns indicadores, sendo eles:

Giro do ativo: evidencia se a utilização dos ativos foi eficiente, e se o resultado for baixo, demonstra que os ativos não geraram a receita esperada.

Liquidez: esse indicador informa se a empresa possui dinheiro suficiente para arcar com as obrigações do passivo. Dessa forma, todos os envolvidos no negócio podem avaliar a saúde financeira do empreendimento, num tempo determinado.

A liquidez pode ser dividida em imediata, que é quando existe a capacidade de pagamento dos encargos de forma mais rápida.

Já a liquidez seca e a corrente é a possibilidade de pagamento em um prazo curto, mas não imediato. E utilizam recursos do ativo circulante.

Com relação a liquidez geral, é a capacidade da empresa efetuar os pagamentos de todas as suas dívidas considerando todos os bens e direitos.

Ter uma equipe contábil competente, é muito importante no momento de realizar o Balanço Patrimonial e analisar a situação financeira do seu negócio.

Precisando de assessoria contábil? Fale com um de nossos especialistas!

Fonte: Jornal Contábil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Translate »
Abrir Chat
Olá! Precisa de ajuda?
Olá, como podemos ajudar